Pular para o conteúdo

AUTOSSABOTAGEM: COMO ENFRAQUECER SEUS SABOTADORES

Será que você tem praticado a Autossabotagem? E talvez tem vivido situações assim?

  • “Nada do que faço, dá certo. ”
  • “Todos os meus relacionamentos dão errado”
  • “Mudo de emprego, como troco de roupas”
  • “Não saio das minhas dívidas”
  • “Começo a melhorar, e volto a cair”

Você tem criado atitudes que prejudicam a si mesmo? Você quer algo para a sua vida e não consegue?

O nosso cérebro precisa ser treinado o tempo todo. Quando passamos a compreendê-lo, vai ficando claro que ele não quer gastar energia e, sendo assim, seja lá o que você passar a repetir de comportamento é o que vai virar um hábito na sua vida.

Então, pense comigo, qual é o ouvido mais próximo da sua boca? Acertou se disse que é o seu. Quando você fala repetidamente alguma coisa, você está treinando o seu próprio cérebro.

Neste post quero inspirar você a compreender sobre qual a razão de você não estar conseguindo ir em direção daquilo que deseja para a sua vida:

AUTOSSABOTAGEM: COMO ENFRAQUECER SEUS SABOTADORES

O que é a autossabotagem

Após uma olhada rápida no dicionário você irá encontrar:

Substantivo feminino [Popular] Processo de sabotagem que alguém faz a si mesmo, falando especialmente das ações que uma pessoa faz e que acabam por prejudicá-la de alguma forma, essas ações geralmente são inconscientes. …

Auto-, do grego autós, “o próprio” + sabotagem, do francês sabotage.

A autossabotagem envolve razões, desculpas, empecilhos que impedem você de ter sucesso na vida pessoal, profissional, financeira.

Você é capaz de sabotar a si mesmo, consciente ou não, fazendo coisas que prejudicamos seus projetos, sonhos, planos e, consequentemente, seu sucesso, seu futuro e seus resultados.

Para o sabotador inconsciente a meta dele é reforçar a sabotagem dele. Ex.:  O sabotador, vitima, quer que todos reconheçam a dor dele, ele vira um mártir.

O sabotador consciente sabe que existe o elemento sabotador na vida dele. Ele faz o que não deveria fazer, mas faz por causa de um ganho secundário na vida dele.

Tipos de sabotadores

Você irá perceber que as características dos diversos tipos dos autossabotadores são boas até certo nível. Porém o nível que gera preocupação constante e/ou que faz você não seguir em direção do que deseja é que leva a sabotagem.

Veja se você se identifica com um ou mais tipos:

PERFECCIONISTA/INSISTENTE

Característica: necessita de ordem e organização extremas, o que deixa as pessoas ao redor ansiosas e nervosas.

Dor: sem energia e constante frustração consigo mesmo.

Recomendação de artigo: 5 dicas de como lidar com frustração

HIPER-REALIZADOR

Característica: o desempenho e as realizações constantes são indispensáveis.

Dor: refém dos resultados para ter respeito próprio, o que gera tendência a vício em trabalho e perda de profundidade emocional.

PRESTATIVO

Característica: esforçar para ganhar a atenção e afeição dos outros, mesmo que para isso precise distribuir elogios constantemente.

Dor: perde de vista as próprias necessidades e se ressente da dependência dos outros.

CONTROLADOR

Característica: visão de que está no controle ou está fora de controle. Funciona movido à necessidade de estar no comando e de dirigir as ações das pessoas de acordo com a vontade dele.

Dor: tem que dar conta de tudo.

ESQUIVO

Característica: concentra no positivo e no prazeroso de forma extrema e evita as tarefas difíceis e desagradáveis.

Dor: procrastinar as obrigações e fugir dos conflitos e, eventualmente, cometer atrasos na conclusão das coisas.

Recomendação de leitura: Procrastinação: Como Vencer o hábito de adiar

INQUIETO

Característica: sempre em busca de novas emoções porque ficar parado é entediante e a vida precisa ser intensa.

Dor: insatisfação! Sempre em busca por novas atividades, já que as atuais nunca dão muita paz ou alegria.

Recomendação de leitura: Use a INSATISFAÇÃO positiva para descobrir por que você nasceu

VÍTIMA

Característica: emotivo e temperamental, sempre em busca de atenção e afeto.

Dor: foca em sentimentos dolorosos, o que pode resultar em tendência para a martirização.

CRÍTICO

Característica: encontrar defeitos em si mesmo, nos outros e nas circunstâncias o tempo todo.

Dor: ansiedade, estresse, raiva, decepção, vergonha e culpa.

Recomendação de leitura: ANSIEDADE: Descubra estratégias para domar o mal do século

HIPER-RACIONAL

Característica: frio, distante ou intelectualmente arrogante porque se concentra no processo racional de tudo, incluindo relacionamentos.

Dor: as emoções são consideradas indignas de respeito.

HIPER-VIGILANTE

Característica: constantemente em estado de alerta, nunca descansa.

Dor: ansiedade em relação a todos os perigos que a cercam e a tudo que pode dar errado. Estresse contínuo.

Com qual desses autossabotadores você se identificou? Com um ou com mais de um? Utilize o formulário no final deste poste para comentar sua resposta.

Observe também algumas palavras comuns da autossabotagem:

  • Eu irei começar uma dieta, “mas”(pré-desculpa)
  • “eu quero”
  • “vou tentar”
  • “eu preciso”
  • “eu acho”
  • “e se”
  • “eu gostaria”
  • “eu tenho que”

Nesse momento, ao ler as palavras mais comuns dos autossabotadores, eu gostaria de saber de você o que de melhor você deve FAZER ao invés de tentar ou querer ou precisar ou achar ou ter que?

Como eu sei que pratico a autossabotagem?

Para responder a essa sua pergunta, eu irei fazer mais duas outras perguntas a você:

– Onde tem doído em você? No pessoal? profissional? financeiro? relacionamento?

Sim, é na dor que você começa a ver o sinal de que você tem sabotado a si mesmo. A dor é o sintoma da autossabotagem.

Preste atenção em você, quanto mais você segue naquela direção mais dói.

A autossabotagem pode nascer de algo bom. Para sobreviver adquirimos algumas características que podem estar nos sabotando, como dizer sim para tudo, mentir, trair, ser hiper-realizador, querer fazer tudo perfeito. Qual é a dor de você fazer isso?

– O que você tem buscado alcançar e não consegue?

Outra maneira de saber que você tem praticado a autossabotagem é quando você não consegue avançar na direção daquilo que quer para a sua vida.

Todos nós temos uma meta ou várias metas. Ao comparar você com você mesmo, se você não está conseguindo avançar na direção daquilo que quer para a sua vida, muito provavelmente você está se autossabotando em alguma coisa.

Exemplos práticos ter metas do tipo parar de fumar, de beber, estar envolvido em conflitos, gastar, engordar, fazer dívidas, enrolar, procrastinar etc . Se você não tem conseguido ir em direção de realizar essas metas ou qualquer outra que tiver, pense consigo mesmo, que historinhas você tem contado a si mesmo que impede você de fazer o que tem que ser feito para conseguir o que deseja?

Por qual razão autossabotamos?

Quando não fazemos o que tem que ser feito é porque temos um ganho secundário. Pense sobre isso.

Você tem uma meta a alcançar, quer ir de A para B. A é onde você está e B é o que você quer alcançar, seu ganho principal. E mesmo consciente ou não disso você se sabota. Por qual razão? Muito provavelmente permanecer em  A, consciente ou inconsciente, você tem uma ganho secundário.

Exemplo, em A você se vê procrastinando, mesmo que deseje ser produtivo em B. Ao procrastinar você tem um ganho secundário, que traz a você algum prazer. É preciso que você descubra qual é esse ganho secundário.

A neurociência tem nos mostrado que aquilo que vemos, nós criamos. Criamos uma vida particular para nós mesmos. E nesta vida criada por nós mesmos, nos tornamos uma pessoa que cria uma realidade própria. E dentro dessa realidade você tem tido suas atitudes. E dessas suas atitudes você tem um ganho. Assim, fecha-se um ciclo que passa a ser a sua realidade de vida. Você pode estar criando uma realidade de vida viciosa ou virtuosa.

Ficou claro?

Como se livrar da autossabotagem?

É preciso criar novos hábitos. Lembra qual é o ouvido mais próximo da sua boca? O que você tem dito para o seu cérebro?

É preciso criar um compromisso com você mesmo para uma mudança de hábito. O que estou dizendo aqui é bem desafiador para todos nós humanos.

A mudança de um hábito vai exigir de você compreender como esse sistema funciona. Você precisa compreender qual é o gatilho que faz você fazer o que faz. Qual é a rotina que se estabelece desse gatilho e qual a recompensa que você tem. Compreendido isso, você precisa comprometer-se e alterar a sua rotina, buscar outra rota, uma solução, um novo modelo de comportamento para ter a mesma recompensa que deseja.

Ficou claro?

Pense um pouco onde não está dando certo para você na sua vida: dívidas, relacionamento, produtividade, procrastinação, preguiça, desemprego, sedentarismo.